Saiba como declarar um investimento no exterior

Descubra em poucos passos como declarar um investimento no exterior corretamente

Publicidade

Atualmente, uma grande onda de educação financeira vem tomando conta do país, onde vários tipos de conteúdos são encontrados para incentivar e esclarecer sobre o tema. E muito disso acontece pela mentalidade de pessoas que não esperam do governo para ter uma renda de aposentadoria, já que isso pode se tornar um grande risco ao futuro.

Publicidade

Desse modo, é preciso se conscientizar para aprender a importância do planejamento financeiro e, com ele, entender como investir corretamente. Além disso, a declaração correta dos investimentos também é uma tarefa a realizar e, quando a aplicação do dinheiro é no exterior, aí o cuidado precisa ser dobrado.

Quer saber como declarar um investimento no exterior corretamente para evitar qualquer problema com a Receita Federal brasileira? Então, continue lendo até o final deste conteúdo!

A importância dos investimentos para o futuro

Pessoas que decidem investir e lutam para aplicar seu capital corretamente, estão se comprometendo com seu futuro, já que guardar dinheiro não é uma atitude simples e requer uma visão aguçada sobre a importância do investimento, além da disciplina para fazê-lo, claro.

Assim, quem escolhe fazer sacrifícios para pensar além é recompensado com uma vida financeira tranquila e sem grandes preocupações com a falta de recursos. Investir dá a possibilidade de se organizar financeiramente, o que, de todos os modos, é uma escolha significativa.

A partir dessa mudança de mentalidade, é necessário escolher as modalidades onde o capital será aplicado, dentre tantas existentes. Uma dessas opções, por exemplo, são os investimentos no exterior: uma ótima oportunidade para fazer o dinheiro render e aumentar o patrimônio.

Como funcionam os investimentos no exterior

Os investimentos no exterior, basicamente, seguem as mesmas regras de investimentos no Brasil, onde é possível aplicar o dinheiro em ações, títulos públicos e privados, câmbio e commodities.

Publicidade

Com a liberação do Banco Central, em 2006, para brasileiros poderem aplicar seu capital em fundos de investimento internacionais, cada vez mais pessoas têm apostado nessa modalidade que se mostra uma boa alternativa para diversificar as aplicações. Desse modo, com a diversificação de investimentos, é possível minimizar os riscos e potencializar a capacidade de rentabilizar o dinheiro.

Após as aplicações serem realizadas, é preciso declarar os investimentos corretamente. Para isso, basta seguir as boas práticas e, dessa maneira, evitar cair na malha fina do leão da Receita Federal.

Como declarar os investimentos no exterior corretamente

Investimentos menores que US$ 100 mil – Imposto de Renda

O primeiro passo para realizar a declaração corretamente é se atentar para o valor aplicado lá fora. Para valores abaixo de US$ 100 mil, o processo de declaração é simplificado e se assemelha bastante com as declarações de investimentos no Brasil.

Para não errar, basta preencher as informações na seção “Bens e direitos e aplicações financeiras”, disponível no imposto de renda, apenas especificando o país do investimento no campo “localização” e o código do ativo.

Investimentos maiores que US$ 100 mil ou US$ 100 milhões – CBE

Nesses casos, onde o valor investido ultrapassa US$ 100 mil, é preciso considerar o valor das aplicações em reais utilizando a conversão do câmbio PTAX no dia 31 de dezembro.

Com o valor conhecido, é preciso preencher as informações na ficha “Declarações de Capitais Brasileiros no Exterior junto ao Banco Central”, disponível no site do Banco Central. No entanto, existe um prazo para que essa declaração seja realizada, conforme listado a seguir:

  • Bens e direitos superiores a US$ 100 mil: CBE anual, que deve ser enviado até 5 de abril do ano seguinte ao investimento;
  • Já os bens e direitos superiores a US$ 100 milhões trabalham com os seguintes prazos para declaração:
  • Primeiro trimestre: até 5 de junho;
  • Segundo trimestre: até 5 de setembro;
  • Terceiro trimestre: até 5 de dezembro;
  • Quarto trimestre: até 5 de abril.

Ou seja, para investimentos maiores que US$ 100 milhões, é necessário enviar a CBE trimestralmente até as datas limites.

Problemas na declaração resultam em multas

Para quem deixa de realizar a declaração no prazo, há a incidência de multa de 1% do valor declarado, sendo que o teto máximo do valor a ser pago é de R$ 25 mil. No segundo caso, se for constatado que os dados informados não estão corretos, o valor da multa a ser pago sobre para 10% do valor ou R$ 250 mil de teto máximo.

Comece a investir para conquistar um futuro melhor

Os investimentos são importantes para quem deseja ter um futuro melhor em todos os sentidos. Seja a capacidade de parar de trabalhar, ter uma renda extra ou garantir o conforto da família, é fato que aplicar o capital com sabedoria é importante.

Assim, é possível escolher diversas modalidades de aplicações, como ações, títulos públicos e privados, além das commodities. Em todos os casos, apostar em um – ou mais – desses itens vai ajudá-lo no crescimento financeiro e patrimonial.

Outra modalidade bastante interessante é o dólar, que pode ser uma ótima fonte de investimento dependendo do momento escolhido para aplicar seu dinheiro. É importante saber quando comprar dólar e, dessa forma, rentabilizar bastante com a valorizada moeda americana. Aproveite!

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar