Política

Comissão de Orçamento aprova parecer sobre receitas da União em 2020

A Comissão Mista de Orçamento (CMO) do Congresso Nacional aprovou nesta terça-feira (3) o parecer sobre a receita na proposta orçamentária para 2020 (PLN 22/19). O texto enviado pelo Poder Executivo foi aprovado com duas emendas apresentadas pelo relator da receita, senador Zequinha Marinho (PSC-PA).

O relator elevou em R$ 7 bilhões as receitas totais da União após entender que a equipe econômica subestimou o total de dividendos que as empresas estatais poderão repassar no próximo ano. A medida abre espaço para um aumento nas despesas, até o limite do teto de gastos conforme a Emenda Constitucional 95.

Na proposta orçamentária revisada, encaminhada pelo governo ao Congresso em 26 de novembro, os dividendos foram estimados em R$ 6,5 bilhões. Até o dia 30, porém, já foram repassados mais de R$ 20 bilhões, afirmou Zequinha Marinho. Assim, para 2020 ele avaliou que podem chegar a, no mínimo, R$ 13,5 bilhões.

Ajustes
O texto do Poder Executivo estimou as receitas totais em R$ 3,680 trilhões. Com o ajuste proposto por Zequinha Marinho, o montante vai a R$ 3,687 trilhões. Já as despesas, inicialmente fixadas em R$ 3,559 bilhões, ainda serão objeto de análise por 16 relatores setoriais e pelo relator-geral, deputado Domingos Neto (PSD-CE).

Segundo o Ministério da Economia, a soma das despesas fixadas na proposta orçamentária está abaixo do limite constitucional. “Em relação ao teto de gastos, foi possível apurar espaço não utilizado de R$ 6,9 bilhões, o qual poderá ser empenhado caso o Congresso estabeleça fontes de receitas adicionais”, informou.

A revisão da proposta orçamentária decorreu, entre outros fatores, do ajuste às previsões macroeconômicas para 2020 no crescimento real do Produto Interno Bruto (PIB) – subiu de 2,17% para 2,32% – e na inflação oficial do País medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) – caiu de 3,9% para 3,5%.

O deputado Bohn Gass (PT-RS) questionou essas previsões e a atuação do ministro da Economia, Paulo Guedes. “Não há sinais de crescimento econômico”, afirmou. “Como esperar confiança dos investidores se há pessoas que já pedem o afastamento de Guedes, agora que ele se meteu a falar da ditadura”, continuou.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) anunciou que o PIB cresceu 1,0% no acumulado dos quatro trimestres terminados em setembro de 2019, na comparação com igual período anterior. No terceiro trimestre deste ano, em comparação ao segundo, a alta foi de 0,6%, puxada pelo consumo das famílias.

Tramitação
Pelo cronograma atualizado da CMO, o relatório da receita deverá ser analisado pelo relator-geral Domingos Neto, que deve apresentar ainda hoje o seu parecer preliminar. Os 16 relatórios setoriais da despesa estão previstos para o dia 11, e a votação do parecer final de Domingos Neto na CMO, para até o dia 17. Em seguida a proposta orçamentária será encaminhada para análise do Congresso.

Reportagem – Ralph Machado
Edição – Roberto Seabra

Botão Voltar ao topo
Fechar