Mundo

Mulher morre durante ‘terapia de tapas’ e chinês é indiciado por homicídio

Após a morte de uma paciente durante uma sessão de “terapia de tapas” em Wiltshire (Inglaterra), o chinês Hong Chi Xiao, de 56 anos, foi indiciado por homicídio culposo. O incidente aconteceu em um quarto de hotel em outubro de 2016, e desde então a polícia investigava as circunstâncias da morte da mulher.

De acordo com a família da vítima, Danielle Carr-Gomm, ela procurou Xiao para se curar de diabetes. O chinês defende que a técnica, também conhecida como paida lajin, pode curar dores crônicas, Alzheimer, falência dos rins, paralisia, câncer, bronquite e autismo.

Na terapia, o paciente recebe do terapeuta ou de si mesmo fortes tapas no corpo – especialmente nas juntas e na cabeça. A ideia é que os golpes melhoram a circulação sanguínea, o que curaria as doenças.

Leia também

Não há qualquer fundamentação científica nessa teoria, mas isso não impede Hong Chi Xiao de defendê-la em concorridos workshops. Nesses eventos, ele apresenta depoimentos de pessoas “curadas” pelo paida lajin.

Etiquetas
Botão Voltar ao topo
Fechar