Mundo

13 Fatos fascinantes sobre as abelhas

Claro, você sabe que as abelhas polinizam nossas plantações e nos dão mel. Mas há muito mais para esses insetos zumbis do que isso.

1. PICADAS DE ABELHA TÊM ALGUNS BENEFÍCIOS.

Uma toxina no veneno da abelha chamada melitina pode prevenir o HIV. A melitina pode matar o HIV fazendo buracos no envelope protetor do vírus. (Enquanto isso, quando a melitina pega uma carona em certas nanopartículas, ela simplesmente salta das células normais e as deixa ilesas.) Cientistas da Universidade de Washington em St. Louis esperam que a toxina possa ser usada em géis preventivos.

As picadas de abelha também podem aliviar a dor causada pela artrite reumatóide. Pesquisadores da Universidade de São Paulo descobriram que moléculas no veneno de abelha aumentam o nível de glicocorticóide do seu corpo, um hormônio antiinflamatório.

2. ELAS TRABALHAM MAIS DO QUE VOCÊ.

Durante as estações mais frias, as abelhas operárias podem viver por nove meses. Mas no verão, eles raramente duram mais do que seis semanas – eles literalmente trabalham até a morte.

3. QUANDO ELAS TROCAM DE EMPREGO, ELAS MUDAM SUA QUÍMICA CEREBRAL.

As abelhas são programadas para fazer certos trabalhos. As abelhas-escoteiras, que procuram novas fontes de alimento, são preparadas para a aventura. Abelhas soldadas, descobertas em 2012, funcionam como guardas de segurança toda a sua vida. Um por cento de todas as abelhas de meia-idade se tornam agentes funerários – um padrão cerebral genético compele-os a remover abelhas mortas da colmeia. Mas o mais surpreendente é que as abelhas comuns – que realizam vários trabalhos durante sua vida – mudam sua química cerebral antes de fazer um novo trabalho.

4. SEUS CÉREBROS DESAFIAM O TEMPO.

Quando as abelhas envelhecidas fazem trabalhos geralmente reservados para os membros mais jovens, o cérebro deixa de envelhecer. Na verdade, o cérebro envelhece ao contrário . (Imagine se andar de triciclo não fizesse com que você se sentisse jovem – na verdade fez seu cérebro funcionar como o de uma pessoa mais jovem). Cientistas da Universidade Estadual do Arizona acreditam que a descoberta pode nos ajudar a retardar o início da demência.

5. AS ABELHAS ESTÃO MUDANDO A MEDICINA.

Para reforçar as suas colmeias, as abelhas usam uma resina de álamo e árvores perenes chamada própolis . É basicamente cola de colmeia. Embora as abelhas o usem como calafetar, os humanos o usam para combater bactérias, vírus e fungos. Pesquisas mostram que a própolis retirada de uma colmeia pode aliviar o herpes labial, a afta, o herpes, a dor de garganta, as cáries e até mesmo o eczema.

6. AS ABELHAS PODEM RECONHECER ROSTOS HUMANOS.

As abelhas distinguem os rostos da mesma maneira que nós. Eles pegam partes – como sobrancelhas, lábios e orelhas – e remendam-nas para distinguir todo o rosto. É chamado de “processamento de configuração” e pode ajudar os cientistas da computação a melhorar a tecnologia de reconhecimento facial, informa oThe New York Times .

7. AS ABELHAS TÊM PERSONALIDADES

Mesmo nas colméias, há trabalhadores e esquivos. Pesquisadores da Universidade de Illinois descobriram que nem todas as abelhas são drones intercambiáveis. Algumas abelhas são caçadoras de emoções. Outros são um pouco mais tímidos. Um estudo de 2011 até descobriu que as elas agitadas podem ser pessimistas, mostrando que, até certo ponto, as abelhas podem ter sentimentos.

8. ELES SÃO ESTIMULADOS PELA CAFEÍNA E COCAÍNA.

A natureza não pretendia que a cafeína fosse relegada à sua cafeteira matinal. É na verdade uma substância química de defesa vegetal que afasta insetos nocivos e atrai polinizadores. Cientistas da Universidade de Newcastle descobriram que o néctar de cafeína ajuda as abelhas a lembrar onde está a flor, aumentando as chances de uma visita de retorno.

Enquanto a cafeína faz as abelhas funcionarem melhor, a cocaína as transforma em mentirosos gordos. Elas “dançam” para se comunicar – uma maneira de dar instruções a outras pessoas sobre boa comida. Mas as altas abelhas exageram seus movimentos e enfatizam a qualidade da comida. Eles até exibem sintomas de abstinência, ajudando os cientistas a entender as nuances do vício.

9. AS ABELHAS TÊM TÉCNICAS DE NAVEGAÇÃO SEMELHANTES ÀS DOS VIKINGS.

As abelhas usam o sol como uma bússola. Mas quando está nublado, há um backup – eles navegam por luz polarizada , usando fotorreceptores especiais para encontrar o lugar do Sol no céu. Os vikings podem ter usado um sistema similar: em dias ensolarados, eles navegavam com relógios de sol, mas em dias nublados, pedras do sol – pedaços de calcita que agem como um filtro Polaroid – os ajudavam a permanecer no curso.

10. AS ABELHAS PODEM RESOLVER PROBLEMAS MATEMÁTICOS.

Finja que é o fim de semana, e é hora de fazer recados. Você tem que visitar seis lojas e elas estão em seis locais diferentes. Qual é a distância mais curta que você pode viajar enquanto visita as seis? Os matemáticos chamam isso de “problema do vendedor ambulante” e pode até mesmo bloquear alguns computadores. Mas para os zangões, é um piscar de olhos. Pesquisadores da Royal Holloway University, em Londres, descobriram que os zangões voam pelo caminho mais curto possível entre as flores. Até agora, eles são os únicos animais conhecidos para resolver o problema.

11. AS ABELHAS SÃO OS CONSTRUTORES MAIS ECONÔMICOS DA NATUREZA.

Em 36 aC, Marcus Terentius Varro argumentou que os favos de mel eram as estruturas mais práticas em volta. Séculos mais tarde, o matemático grego Pappus solidificou a “conjectura do favo de mel” fazendo a mesma afirmação. Quase 2000 anos depois, o matemático americano Thomas Hales escreveu uma prova matemática mostrando que, de todas as estruturas possíveis, os favos de mel usam a menor quantidade de cera. E os favos de mel não são apenas as estruturas mais eficientes da natureza – as paredes se encontram em um ângulo preciso de 120 graus, um hexágono perfeito.

12. AS ABELHAS PODEM NOS AJUDAR A CAPTURAR SERIAL KILLERS.

Assassinos em série se comportam como abelhas. Eles cometem seus crimes perto de casa, mas longe o suficiente para que os vizinhos não fiquem desconfiados. Da mesma forma, as abelhas coletam pólen perto de sua colméia, mas longe o suficiente para que os predadores não consigam encontrar a colmeia. Para entender como essa “zona de amortecimento” funciona, os cientistas estudaram o comportamento das abelhas e escreveram alguns algoritmos. Suas descobertas melhoraram os modelos de computadores usados ​​pela polícia para encontrar criminosos.

13. AS ABELHAS SÃO CRIADORAS DE EMPREGO.

O humano em média, por exemplo, nos EUA, consome cerca de 1,51 libras de mel a cada ano. Além disso, o Departamento de Agricultura dos EUA estima que as abelhas polinizam até 80% das safras de insetos do país – o que significa que as abelhas polinizam mais de US $ 15 bilhões em safras a cada ano.

Botão Voltar ao topo
Fechar