Saúde

Perda auditiva não tratada na infância causa problemas de desenvolvimento e integração social

Vanessa Gardini, fonoaudióloga da Pró-Ouvir Aparelhos Auditivos de Sorocaba (SP), explica a importância de tratar a perda auditiva na infância e como isto contribui para o desenvolvimento integral das crianças.

A inclusão no Brasil está em processo de implantação, sendo ainda um desafio. Perder a audição é difícil para qualquer um, mas, e para as crianças? Como essa condição pode impactar na vida dos que estão em fase de desenvolvimento e aprendizado?

A Lei nº 7.853 estipula a obrigatoriedade de todas as escolas aceitarem matrículas de alunos com deficiência. Entretanto, para que haja, de fato, a inclusão, é necessário que os professores sejam capacitados para atender esse estudante, assim como a criança receba os cuidados adequados, incluindo o uso de aparelho auditivo que auxilie no processo de reabilitação.

Uma das maiores privações sensoriais é a perda auditiva, limitando a oportunidade de crescimento da criança. “O principal veículo de comunicação humana é a fala e quem perde este sentido é privado dessa interação. Para adultos, a situação é complicada, mas, para as crianças, é ainda mais desafiadora, afetando seu desenvolvimento. Por isso, se faz necessário um diagnóstico rápido, seguido do tratamento adequado, porque o não tratamento pode afetar definitivamente a evolução pessoal e o convívio na sociedade”, explica Dra. Vanessa Gardini, fonoaudióloga da Pró-Ouvir Aparelhos Auditivos, de Sorocaba (SP).

A perda auditiva na infância possui várias causas. A hereditariedade e a meningite são mais comuns em crianças com idade mais avançada. “Após o parto, traumas cranianos ou infecções, como o sarampo e a catapora, podem causar a perda auditiva, inclusive permanente. Alguns medicamentos, tais como antibióticos, estreptomicina, dentre outros, ainda podem ser a causa do problema”, alerta a especialista da Pró-Ouvir.

A criança com perda de audição leve ou moderada pode se beneficiar do uso de um dispositivo de amplificação sonora. “Principalmente nessa faixa etária, é importante o uso de aparelho auditivo, com o acompanhamento de um fonoaudiólogo para auxiliar no desenvolvimento e na estruturação da linguagem oral, além de um trabalho de apoio educacional especializado, se necessário, podendo, assim, garantir um desenvolvimento linguístico oral e global pleno”, diz Dra. Vanessa.

 O modelo de aparelho auditivo mais indicado para cada caso e o preço variam muito, sendo determinados pelas necessidades individuais do paciente e pelas funções agregadas no dispositivo. O fonoaudiólogo especialista é quem irá avaliar e informar qual é a melhor opção para cada situação específica.

A Pró-Ouvir Aparelhos Auditivos fica na Rua Dr. Arthur Gomes, 552, Centro, em Sorocaba (SP). Mais informações podem ser obtidas pelo telefone: (15) 3231-6776 ou pelo site: www.proouvir.com.br.

Botão Voltar ao topo
Fechar