Bem Estar

Leite materno: o remédio e alimento mais poderoso que existe

Leite materno: O leite materno é um alimento completo. Até os seis meses de idade ele é capaz de fornecer todos os nutrientes necessários ao desenvolvimento do bebê, não sendo necessário nenhum tipo de complemento. Desta idade em diante, até os dois anos, ou um pouco mais, a Sociedade Brasileira de Pediatria recomenda a continuidade do aleitamento, complementada a outros alimentos.

Dra. Ana Carolina Nava nova médica pediatra do Centro Médico São José, de Cerquilho (SP), explica que seguir essa recomendação é extremamente importante. “O leite materno é um alimento completo, sendo que proporciona diversos benefícios para a saúde, tanto da mãe, quanto do bebê, sendo que a composição vai se transformando com o tempo”, comenta.

Na primeira fase do aleitamento é produzido o colostro, um fluído amarelado e espesso, rico em proteínas e com menor teor de lactose e gorduras. “É um leite secretado logo após o parto. É rico em vitaminas ‘A’, ‘E’ e imunoglobulinas, que irão proteger o bebê contra vírus e bactérias”, explica.

Do 7º ao 21º dia após o parto, é produzido o leite de transição, em que os níveis de proteínas e minerais reduzem e as gorduras e carboidratos aumentam. “A partir do 21º dia, é produzido o leite, contendo também vitaminas ‘A’, ‘D’ e ‘B6’, além de cálcio, ferro e zinco”, detalha a especialista.

Além do leite sofrer mudanças em sua composição, ele varia também durante a mesma mamada (leite anterior e leite posterior). “No início da mamada o leite é rico em água e ao final, é rico em gordura. Por essa razão, sempre deve-se esvaziar uma mama primeiro, para depois passar para outra e oferecer as duas mamas na mesma mamada”, aconselha a pediatra. “O leite varia também de acordo com a necessidade. Mães de bebês prematuros produzem leite diferente das mães de bebês que nasceram no tempo correto”, completa.

Além de ser rico e completo nutricionalmente, o leite materno proporciona diversos benefícios à saúde da criança. “Podemos citar dentre os principais a prevenção de cólicas, anemia, alergias, asma, obesidade e intolerância ao glúten. Bebês que mamam durante o período correto também têm melhor desenvolvimento da arcada dentária, e melhor desenvolvimento ósseo, reduzindo a chance de desenvolver doenças como a artrite reumatoide e a osteoporose futuramente”, elenca Dra. Ana Carolina Nava.

Bebês que recebem leite materno também têm benefícios cerebrais a longo prazo. “A gordura do leite materno vai ajudar a desenvolver o cérebro. Estudos comprovaram que crianças que foram amamentadas, tiveram desempenhos melhores em testes de inteligência na vida adulta.

As mães que amamentam também recebem inúmeros benefícios para a saúde. “O momento da amamentação aumenta o vínculo entre a mãe e o filho e colabora para que a criança se relacione melhor com outras pessoas. Além disso, contribui para a volta do útero ao tamanho normal, evita o sangramento excessivo e protege contra os cânceres de mama e de ovário e contribui para uma acelerada perda de peso”, enumera a médica.

A especialista conclui refutando um pensamento comum a muitas pessoas. “Não existe leite fraco. O leite materno possui tudo o que o bebê precisa até os seis meses, inclusive água. Por isso, não hesite em amamentar, que é um lindo gesto de carinho, amor e saúde”, encerra Dra. Ana Carolina Nava.

O Centro Médico São José está localizado na Avenida Presidente Washington Luiz, 392, no Centro de Cerquilho. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone: (15) 3288-4848, pelo site: www.centromedicosaojose.com.br ou pelo Facebook: www.facebook.com/centromedicosaojose.

Etiquetas
Botão Voltar ao topo
Fechar