BrasilNotícias

Turista de Diadema chama guarda municipal de ‘macaco’ e vai preso em Praia Grande

Um turista foi preso em flagrante sob a acusação de chamar de “macaco” um guarda civil municipal de Praia Grande. O delegado Alexandre Correa Comin autuou o turista por injúria racial. Punível com reclusão de um a três anos, o crime é afiançável.

No entanto, sem pagar a fiança arbitrada por Comin em dez salários mínimos (R$ 9.980), o ajudante de padeiro Gabriel Henrique da Silva, de 18 anos, foi recolhido à cadeia.

Morador em Diadema, na região do ABC, Gabriel foi preso na orla da Vila Caiçara, no domingo (1º) à tarde, após confusão envolvendo vários rapazes.

O guarda ofendido e um colega abordaram os jovens porque eles pedalavam bicicletas na calçada, o que é proibido pelo Código de Trânsito Brasileiro.

Os veículos foram apreendidos, sendo os rapazes liberados. No momento em que os guardas se afastavam do grupo, Gabriel insultou um deles em razão de sua raça.

Uma testemunha ouvida na Delegacia Sede de Praia Grande confirmou a versão dos guardas, acusando o turista detido de chamar um dos agentes de “macaco”.

Logo após a ofensa, o ajudante de padeiro fugiu correndo. Momentos depois, por meio do monitoramento por câmeras de segurança, os guardas o localizaram e o prenderam nas imediações.

A Tribuna

Botão Voltar ao topo
Fechar