Hortolândia confirma mais três casos de coronavírus e chega a 145

A crise causada pelo novo coronavírus segue avançando pelo país e chegando a cada vez mais cidades. O pior da situação é que mesmo pequenos municípios do interior estão registrando mais de 100 casos de pessoas doentes com a Covid-19.

Um desses casos é a cidade de Hortolândia, em São Paulo. A prefeitura local confirmou nesta última semana que a cidade tem mais três novos casos confirmados de pessoas infectadas pelo novo coronavírus. No total, o município já conta com 145 pessoas com a Covid-19.

Além dos 145 confirmados, a cidade ainda conta com mais 68 casos suspeitos. Além disso, 377 pessoas foram descartadas como possíveis infectadas pelo novo vírus.

Em relação a fatalidades, a cidade de Hortolândia já registrou 13 óbitos causados pela Covid-19. Destes, 8 são homens e 5 são mulheres. A vítima mais nova foi uma mulher de 30 anos, falecida no dia 25 de abril, enquanto o mais idoso foi um homem de 93 anos, falecido no mesmo dia. Todas as vítimas do novo coronavírus em Hortolândia tinham algum tipo de comorbidade.

A primeira morte pela Covid-19 na cidade foi registrada no dia 13 de abril, de uma mulher de 86 anos. O óbito mais recente foi no dia 14 de maio, de um homem de 57 anos.

Enquanto isso, 107 pacientes confirmados com a doença já foram curados e estão em alta. No total, são apenas 11 pacientes de Hortolândia internados atualmente, nenhum deles na cidade. Os 11 estão em hospitais fora do município, sendo 9 deles em uma UTI e 2 em uma enfermaria. Outros 14 doentes estão em isolamento domiciliar com casos leves da Covid-19.

Nesta última quarta-feira, dia 27 de maio, o governador do estado de São Paulo, João Dória (PSDB), anunciou um plano de flexibilização da quarentena, o que permitirá que algumas cidades do interior retomem as suas atividades normalmente.

Para funcionar, o estado dividirá as cidades paulistas em regiões, que serão classificadas de acordo com alguns critérios definidos pela Secretaria Estadual da Saúde e pelo comitê criado para lidar com o novo coronavírus.

Cada região do estado receberá uma classificação colorida. Com base na cor, terá mais ou menos flexibilização na sua abertura econômica.

Dentre os elementos de classificação para cada região estão o total de leitos a cada 100 mil habitantes, a taxa de ocupação de UTIs, número de mortes, casos e internações causadas pelo novo coronavírus.

A Fase 1 é a de cor vermelha e é aquela em que as cidades e regiões ainda estão em quarentena. Só poderão funcionar os serviços essenciais, indústria não essencial e a construção civil.

Na Fase 2, de cor laranja, poderão abrir com restrições às atividades imobiliárias, escritórios, concessionárias e auto peças, shoppings e comércio.

Já na Fase 3, de cor laranja, poderão abrir com restrições os bares e restaurantes, o comércio, os shoppings e salões de beleza. As atividades imobiliárias, concessionárias e escritórios poderão funcionar normalmente.

A Fase 4, de cor verde, é exatamente igual a anterior, mas com a possibilidade de academias de ginástica abrirem com restrições.

Por fim, na Fase 5, de cor azul, o funcionamento será total, inclusive com permissão de atividades que envolvam aglomeramento, como jogos de futebol e shows musicais.

No entanto, o governo do estado de São Paulo ainda não revelou o peso de cada um dos fatores na hora de compor a classificação de cada região.

Atualmente, Hortolândia está na região de Campinas e conta com classificação de cor laranja, o que significa que está ainda na Fase 2 da reabertura, que começará a valer a partir do dia 1º de junho.

Por enquanto, alguns tipos de empresas poderão voltar a trabalhar com restrições na cidade, enquanto a situação não melhora um pouco e a cidade ganhe maior flexibilidade de acordo com o plano estadual.

Redação

Sobre o autor : Esta notícia foi publicada por um dos redatores do SeuJornal,não significa que foi escrita por um deles, na maioria dos casos, foi apenas editada.
Botão Voltar ao topo
Fechar