Escolas estaduais e municipais terão aulas a distância a partir de 22 de abril

O Governador João Doria anunciou o lançamento do Centro de Mídias da Educação de SP (acesse aqui), uma plataforma de ensino a distância que vai permitir que os 3,5 milhões de estudantes da rede estadual de SP tenham acesso gratuitamente a aulas ao vivo, videoaulas e outros conteúdos pedagógicos durante o período do isolamento social provocado pelo combate ao coronavírus. Depois da reabertura das escolas, a ferramenta vai continuar sendo usada para complementar as atividades presenciais.

O governador explicou que conseguiu viabilizar o projeto através de parcerias com o setor privado. O aplicativo, por exemplo, foi desenvolvido pela IP.TV e doado à Secretaria de Estado de Educação de São Paulo (Seduc/SP).

A Amazon Web Services (AWS) vai disponibilizar, sem custo, a infraestrutura de servidores e redes para garantir a transmissão das aulas.

Para garantir o acesso a todos os estudantes e professores, as quatro maiores operadoras de telefonia – Claro, Vivo, Oi e Tim – firmaram contrato com o governo para oferecer acesso à internet gratuito, assim todos podem acessar as atividades do aplicativo sem utilizar o pacote 4G do celular, sinal de internet wi-fi ou gastar créditos.

“Conseguimos garantir a internet gratuita para nossos estudantes. Então, sempre que ele logar nesse aplicativo, ele não pagará da sua internet, mesmo que seja um celular pré-pago”, disse Rossieli Soares, secretário estadual da Educação.

Além do aplicativo, o Governo de São Paulo também fechou um contrato com a TV Cultura, que vai transmitir as aulas por meio do Canal digital 2.3 – TV Cultura Educação.

“Neste momento em que alunos e professores estão em casa, é de grande importância a criação da TV Cultura Educação. A Fundação Padre Anchieta tem mais de 50 anos de expertise em educação e, junto com a Secretaria da Educação, lança um novo canal que propiciará a milhões de estudantes aulas diversificadas e atrativas, e conteúdo de muita qualidade, cobrindo todo o Estado de São Paulo”, destacou o Presidente da Fundação Padre Anchieta – Rádio e TV Cultura, José Roberto Maluf.

Publicidade

A Seduc também está estruturando como deverá ser feita a comprovação das atividades realizadas a distância para que de fato sejam contabilizadas como dia letivo. De acordo com o secretário a Pasta ainda trabalha com a hipótese de encaminhar material pedagógico impresso, via correio, aos alunos do ensino fundamental.

Para Soares, é importante que as crianças, principalmente as dos anos iniciais mantenham o ritmo de estudo para que não comprometa o processo de alfabetização. “Estudos mostram que longos períodos de recesso podem trazer prejuízo à aprendizagem.” O secretário reforçou que o ensino a distância não pode ser configurado apenas por meio da tecnologia.

Para quem e como acessar?

O aplicativo terá diversos canais focados nos estudantes do 6º ano do ensino fundamental até a 3ª série do ensino médio.

Na TV Cultura, o sinal digital utilizado é o 2.3 e será chamado TV Cultura Educação, com inauguração na próxima segunda-feira (6 de abril). A ideia é que sejam transmitidas 10 horas de programação por dia.

Na internet, o Centro de Mídias poderá ser acessado neste site, onde poderá ser baixado o aplicativo para uso em celulares Android e IOS.

Para ter acesso, estudantes e professores da rede estadual devem fazer o login com os mesmos dados usados na Secretaria Escolar Digital (SED). BAIXE AQUI O APLICATIVO DAS AULAS

Como vai funcionar?

Será possível assistir aulas pela TV e interagir pelo celular, além de acompanhar aulas pelo celular com interação em tempo real. O Centro de Mídias SP vai disponibilizar aulas ao vivo ministradas pelos professores da rede, permitindo que os alunos façam interações por meio de chat e vídeos.

As aulas serão operadas em dois estúdios da Escola de Formação e Aperfeiçoamento dos Professores da Educação do Estado de São Paulo (Efape), vinculada à Seduc. Além dos professores da rede, a plataforma vai contar com apresentações de youtubers.

Segundo Soares, o aplicativo foi pensado na lógica de uma rede social e permite grande interação entre professores e estudantes. Pela TV Cultura será possível ter acesso a videoaulas e até atividades transmitidas em tempo real.

A grade horária será dividida por etapas. Haverá componentes alternados a cada semana, sendo que matemática e língua portuguesa serão aplicados toda semana. A plataforma vai ter chats para que alunos tirem dúvidas e a possibilidade de que sejam baixados materiais e conteúdos pedagógicos.

Os alunos dos anos iniciais terão programação específica transmitida pela canal TV Cultura Educação, e ainda receberão um material impresso disponibilizado pela Seduc e pela prefeitura de São Paulo, a partir do dia 13 de abril.

Para os estudantes do 1º ao 9º ano do Ensino Fundamental, os materiais foram divididos nos eixos Língua Portuguesa, Matemática e Ciências Naturais. Já o material para os alunos do Ensino Médio segue as diretrizes do Enem, e está voltado às atualidades.

Quando começa?

Para marcar o início das aulas ao vivo do canal 2.3 TV Cultura Educação, já teve uma aula inaugural de robótica na segunda-feira (6) com a professora Débora Garofalo, eleita uma das dez melhores professoras do mundo em 2019.

A apresentação foi transmitida simultaneamente pelo App do Centro de Mídias SP e será sobre cultura maker, robótica e sustentabilidade. O estudante aprenderá como construir uma mão mecânica com papelão e barbante.

Nesta primeira fase os estudantes são convidados apenas a conhecer as ferramentas para se familiarizarem com a plataforma.

As aulas na rede estadual de São Paulo estão suspensas oficialmente desde o dia 23 de março como medida de controle à disseminacão  do coronavírus.

Como a Prefeitura e o Governo Estadual anteciparam o recesso escolar de julho (que vai ocorrer entre os dias 23 de março e 9 de abril), as aulas a distância pelo Centro de Mídias começam pra valer a partir do dia 22 de abril, quando começam a contar como dias letivos e a utilização da ferramenta contará como presença.

Na primeira fase do programa, segundo o secretário da Educação, Rossieli Soares, não haverá faltas e nem provas. “Já na segunda fase teremos novas rotinas estabelecidas com horários, etapas, séries e canais onde professores poderão interagir com seus alunos”, explicou o secretário.

Apostila e como fica a educação infantil e municipal na cidade de São Paulo

Mais de 1 milhão de estudantes Educação Infantil, do Ensino Fundamental e do Ensino Médio, matriculados nas escolas municipais devem receber pelo correio um caderno de atividades elaborado por educadores e professores da rede.

Eles vão receber materiais e conteúdos pedagógicos para serem desenvolvidos após o fim das férias escolares antecipadas por conta do coronavírus. O material será entregue pelo correio, nos endereços que foram cadastrados e atualizados pelas famílias durante o período de matrícula escolar.

Segundo a secretaria municipal, para os alunos com idade inferior a 6 anos, o material apresenta possibilidades de interação e brincadeiras que complementam e auxiliam nos processos de aprendizagem dos bebês e das crianças pequenas, além de indicações de leitura, montagem de brinquedos e jogos.

O conteúdo, segundo o prefeito de São Paulo, Bruno Covas, ficará também disponível no site da Secretaria Municipal da Educação e poderá ser acessado por prefeituras de outras cidades do país.

“É um material primeiramente dirigido aos pais, para que possam ajudar seus filhos a se organizarem dentro de casa. E depois, a todas as nossas crianças. Esse material foi elaborado a custo zero e está disponível no site da Secretaria municipal da Educação para que cada município e cada prefeito, que queira fazer o download, possa fazer já, com autorização da prefeitura municipal de São Paulo”, disse Bruno Covas.BAIXE AQUI O APLICATIVO DAS AULAS

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar