Atualidades

Pesquisa aponta que dieta vegetariana reduz riscos de infecções urinárias

Estudo foi feito com quase dez mil budistas chineses entre 2005 e 2014

(Crédito: Divulgação)

De acordo com uma pesquisa chinesa, publicada na revista Scientific Reports, os vegetarianos possuem ainda mais um motivo para adotar esse tipo de alimentação. Segundo o estudo, a dieta sem carne animal pode estar relacionada com menor risco de infecção no trato urinário (ITU). A pesquisa foi feita com, aproximadamente, dez mil budistas taiwaneses.

As ITUs normalmente são provocadas por bactérias intestinais. Elas entram no trato urinário por meio da uretra e podem afetar os rins e a bexiga. As carnes, segundo os pesquisadores, são grandes depósitos de cepas de E. coli causadoras de ITUs. Mas, até então, não havia sido feito um estudo para investigar se as dietas vegetarianas podem, realmente, reduzir o risco desse problema de saúde, de acordo com os autores.

O trabalho analisou a incidência de ITUs em 9.724 budistas chineses entre 2005 e 2014. Desses, 3.040 eram vegetarianos. No total, foram 217 vegetarianos com uma ITU, em comparação com 444 casos do problema de saúde nos 6.684 carnistas. A conclusão dos pesquisadores foi de que o risco geral de ITUs foi 16% menor em vegetarianos do que em não vegetarianos. “A dieta vegetariana (versus dieta não vegetariana) está associada a um menor risco de ITU, principalmente em homens e também em indivíduos não fumantes”, concluiu o estudo.

Os resultados obtidos no experimento levaram os cientistas a concluir que, como os vegetarianos não consomem fontes comuns de E. coli, como aves e suínos, eles estão menos suscetíveis a desenvolver essa doença do trato urinário. A dieta rica em fibras de muitos vegetarianos também pode ser um motivo pelo qual não há o crescimento dessas bactérias, diminuindo o risco de ITU.

“Estudos recentes descobriram que as microbiotas intestinais e fecais eram diferentes entre vegetarianos e não vegetarianos. O alto teor de fibras na dieta vegetariana pode modular a microbiota intestinal humana. A fibra é metabolizada pela microflora intestinal para produzir ácidos graxos de cadeia curta. São eles que diminuem o pH intestinal, e isso contribui para um ambiente mais equilibrado”, disseram os pesquisadores, de acordo com reportagem do Correio Braziliense.

O estudo reforça outras pesquisas sobre a dieta vegetariana, que defendem sobretudo o consumo de menos alimentos processados e o excesso de carne – corrente que vai de encontro àquela defendida por nutricionistas carnistas –, uma vez que eles defendem o consumo de carne como um alimento mais nutritivo para o organismo. De acordo com os pesquisadores, esses ainda são resultados preliminares. Importante sempre analisar os restaurantes perto de mim, para escolher o ideal e mais balanceado. 

É necessário, segundo os cientistas, desenvolver mais estudos sobre o assunto, sobretudo com uma população maior e com outras condições (com mais fumantes e com outros problemas de saúde, por exemplo).

Botão Voltar ao topo
Fechar