Academias, barbearias e salões de beleza permanecem fechados em Capivari

  • Prefeitura de Capivari segue medidas do Decreto do Estado de São Paulo e continua com a quarentena até 31 de maio
  • Academias de esportes, barbearias e salões de beleza ainda não poderão funcionar no Estado de São Paulo


A Prefeitura de Capivari anunciou nesta última terça-feira (12) a regulamentação de Decreto, baseado no Decreto Federal, onde fala que que as academias de esportes, barbearias e salões de beleza, são atividades e serviços essenciais, respeitando rigorosamente as normas de saúde.  



Nesta quarta-feira (13), o Governador de São Paulo João Dória, ao contrário do Presidente da República Jair Bolsonaro, não reconheceu essas atividades e serviços como essenciais, falando que o Estado não tem condições sanitárias de permitir o funcionamento desses estabelecimentos.  


Diante disso, a Prefeitura fica sem autonomia para tomar decisões, levando em consideração as características do município, sendo obrigada a seguir a quarentena do Estado até o dia 31 de maio.

O prefeito de Capivari divulgou umtexto sobre o assunto, confira

Desentendimentos e divergências entre os Governadores e o Presidente da República tem deixado os prefeitos malucos.

A última grande confusão foi com o Decreto Federal (Presidente) de segunda-feira, que reconheceu como serviços e atividades essenciais as Academias de Esportes, Barbearias e Salões de Beleza.

Na terça-feira o município anunciou a regulamentação de Decreto, baseado no Decreto Federal, autorizando o retorno dessas atividades, respeitando rigorosamente as normas de saúde.

Publicidade

Hoje, quarta feira, o Governador, contrário ao Presidente da República, não reconheceu essas atividades e serviços como essenciais e disse que o Estado não têm condições sanitárias de permitir o funcionamento de tais estabelecimentos.

Diante dessa lambança, mais uma vez os prefeitos ficam sem autonomia para tomarem decisões, levando em consideração as características e peculiaridades de suas cidades e estão obrigados a seguir a quarentena do Estado até 31 de maio.

Rodrigo Proença

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar